Juscelino Foi Bossa Nova - Rodrigues Alves Papai Grande

Apoio Cultural - Instituto Histórico e Geográfico de Guaratinguetá (IHGG) - Preservando a História - Memória - Patrimônio de Guaratinguetá - Educação Conhecendo a Comunidade

quinta-feira, 3 de junho de 2010

CRONOLOGIA – CONSELHEIRO RODRIGUES ALVES


1848 – A 7 de julho, nasce, em Guaratinguetá, Francisco de Paula Rodrigues Alves.
1859 – Ingressa no Colégio Pedro II no Rio de Janeiro.
1866 – Matricula-se na Faculdade de Direito de São Paulo.
É redator na Imprensa Acadêmica.
1870- Bacharel em Direito pela Faculdade de Direito de São Paulo.
É redator de “Opinião Conservadora”.
Discursa em homenagem aos soldados recém chegados da Guerra do Paraguai.
É nomeado Promotor Interino em Guaratinguetá.
É nomeado Promotor Público em São Paulo.
1872 – É eleito à Assembléia Legislativa Provincial de São Paulo.
1873 – É nomeado Juiz Municipal e Juiz Substituto em São Paulo.
1875 – Casa-se com sua prima Ana Guilhermina de Oliveira Borges.
1875-1877 – Exerce advocacia em sua terra natal.
1876 – Com seu irmão Virgílio funda as empresas agrícolas “Viúva Borges e Genros” e “Rodrigues Alves e Irmão”.
1879-1884 – É vereador e Presidente da Câmara Municipal de Guaratinguetá.
1885 – É eleito Deputado Geral (hoje Federal).
1887 – É nomeado pelo Governo Imperial, Presidente da Província de São Paulo.
Enfrenta levantes de escravos e faz aprovar a Lei da Imigração.
1888 – A 19 de agosto recebe da Regente Princesa Isabel, o título de Conselho.
1889 – Com a Proclamação da República Rodrigues Alves volta para Guaratinguetá.
1890 – É eleito Deputado Federal ao Congresso Nacional Constituinte.
1891 – É nomeado Ministro da Fazenda de Floriano Peixoto.
A 18 de dezembro falece sua esposa Ana Guilhermina.
1893 – É eleito Senador da República por São Paulo.
1894 – É nomeado Ministro da Fazenda de Prudente de Morais.
1897 – É reeleito Senador da República.
1900 – Rodrigues Alves é, pela segunda vez, Presidente de São Paulo (agora Estado).
1902 – É eleito PRESIDENTE DA REPÚBLICA.
1907-1908 – Viaja para a Europa.
1912 – Pela terceira vez é Presidente de São Paulo.
1913 – Reforma do Judiciário Estadual e criação da Primeira Escola de Aviação no Brasil.
1916 – É novamente eleito Senador por São Paulo.
1918 – É eleito pela segunda vez, PRESIDENTE DA REPÚBLICA, porém, doente, não toma posse.
1919 – A 16 de janeiro, Rodrigues Alves falece no Rio de Janeiro e é sepultado em Guaratinguetá no dia seguinte, no Cemitério “Senhor dos Passos”.

Referências

Fotografia de Rodrigues Alves: Óleo sobre Tela - Acervo do Museu da República - Rio de Janeiro-RJ.
FRANCO, Afonso Arinos de Melo. Rodrigues Alves: Apogeu e Declínio do Presidencialismo. São Paulo: Edusp; Rio de Janeiro: Livraria José Olympio, 1973 (Documentos Brasileiros, 155 A).

Nenhum comentário:

Postar um comentário